Visita a ateliê de cerâmica que valoriza a estética brasileira é uma das atividades propostas para incrementar o turismo na região

A região da Serra da Moeda, no município de Brumadinho, atrai turistas que buscam estar em sintonia com a natureza e, claro, os amantes do voo livre. Mas talvez o que poucos saibam é que a região tem outros atrativos pouco explorados, como o artesanato local.

O Ateliê Saracura Três Potes é um desses lugares diferenciados e que está no cardápio de experiências turísticas elaborado por um grupo de empreendedores que participa de projeto do Sebrae Minas para estimular o turismo na região. Além de comprar as peças feitas no ateliê, os turistas terão a oportunidade de aprender a modelar a argila e utilizar cascas de frutos regionais para criar as cerâmicas.

Os artistas plásticos Jessica Martins e José Alberto, mais conhecido como Bebeto, encontraram nas formas das cascas do cupuaçu, coité, sapucaia, timbó e chichá-do-cerrado um grande potencial. “Vimos que os ceramistas daqui eram influenciados pelas técnicas oriental e europeia, diferente da cerâmica dos índios e dos sertanejos, que possui características mais rústicas. Desenvolvemos, então, uma cerâmica que tem a estética brasileira e que carrega a nossa identidade”, diz Bebeto.

Bebeto e Jessica recolhem os frutos na mata que cerca o ateliê. As cascas são colocadas em uma plataforma de gesso, que depois recebe a argila líquida. O processo é todo manual e o resultado do processo depende do nível de oxigênio que entra na queima do forno a gás. Ao longo da produção, as peças mudam de tonalidade conforme o mineral que é usado.

“No momento que comecei a fazer cerâmica, pensei como a vida simples e artesanal encanta e o quão terapêutico é desenvolver aquele trabalho. No segundo seguinte, parei para pensar como seria interessante se essa proposta fosse comercializada e que, para além de um produto, se transformasse em uma experiência. Assim como eu, muitas pessoas fugiriam da grande BH e teriam um momento em meio à natureza para se reequilibrar,” comenta a analista do Sebrae Aline Magalhães, que participou do tour experimental realizado em outubro na região.

Ainda segundo Bebeto, existem outros ceramistas na região que desenvolvem trabalhos diferentes com o material. Com o lançamento do cardápio, a ideia é que a iniciativa traga visibilidade e transforme Brumadinho em um polo da cerâmica. “Quando o Sebrae veio aqui falando dessa proposta e que colocaria os ceramistas no cardápio, vimos a grande possibilidade de batizar esse circuito. A minha expectativa é que os ceramistas fiquem conhecidos, e que os turistas se interessem em aprender a fazer a cerâmica, além de comprá-la.”