Produtores do Assentamento Pastorinhas apresentam seus produtos para donos de restaurantes de BH, durante visita organizada pelo Sebrae Minas

O Assentamento de Reforma Agrária Pastorinhas, área de agricultura familiar, se tornou referência no manejo da terra em Brumadinho. Lá, 20 famílias produzem alimentos orgânicos em harmonia com a floresta nativa preservada, que cobre cerca de 80% da área total. Os agricultores do assentamento tiveram a chance de apresentar esse modelo de produção para proprietários dos restaurantes de Belo Horizonte que participam do Circuito Gastronômico da Pampulha, durante uma visita que contou com apoio do Sebrae Minas, por meio do projeto Investe Turismo, além da Belotur e Prefeitura de Brumadinho.

O encontro possibilitou aos agricultores mostrarem que possuem qualidade e volume de venda . “Por já atuarem no mercado institucional, os agricultores daqui têm um potencial produtivo muito grande. O grupo do assentamento já tem um preço que se aproxima de muitos produtos da Ceasa, por exemplo, o que é extremamente atrativo para os donos dos restaurantes da Pampulha,” disse Renato Lana, analista do Sebrae Minas.

Assentamento Pastorinhas

O Assentamento Pastorinhas foi instituído pela Reforma Agrária e surgiu em 2001, quando alguns agricultores se conheceram em um projeto do Governo, que buscava cadastrar produtores rurais que não possuíssem terrenos. O programa identificou uma área improdutiva em Brumadinho, ideal para produção agrícola. Desde então, 20 famílias trabalham usufruindo da produção de alimentos orgânicos, que são vendidos para escolas, creches e outros estabelecimentos localizados dentro e fora do município.

Valéria Carneiro, uma das líderes do Assentamento Pastorinhas, percebeu como sua atividade vem se destacando. Como produzimos na linha agroecológica orgânica, temos chamado a atenção de pessoas que buscam uma alimentação livre de agrotóxicos.” O assentamento possui certificados comprovando que todo o procedimento dispensa o uso de defensivos. A água utilizada na plantação, inclusive, passa por uma análise a cada seis meses. “Nos comprometemos em tratar o esgoto e ter as análises de água para provar que ela não tem contaminantes. Esgoto e água tratados são procedimentos essenciais que testam a pureza do produto,” reforça Valéria.

Saúde e bem-estar

Com a larga escala de produção agrícola, o consumidor está cada vez mais preocupado com o alimento que ingere e questiona sua origem e suas condições de cultivo. Pesquisa feita pela Organis (Entidade Setorial dos Orgânicos), em 2019, mostrou que 26% das pessoas estão dispostas a iniciar o consumo de orgânicos. O estudo ainda destacou que 84% dos entrevistados relatam a preocupação com a saúde como um dos motivos para consumir alimentos livres de agrotóxicos e fertilizantes.

Além dos benefícios relacionados aos valores nutritivos de um alimento orgânico, existe um diferencial dos produtos vindos da agricultura familiar, cultivados em pequena escala  e sem o uso de produtos químicos, o que ajuda a proteger o solo, a água e as vidas animal e vegetal.

“Optar por produtos orgânicos faz total diferença para o nosso trabalho. Evoluímos também na parte de receitas e entregamos para nossos clientes um produto com sabor e qualidade superior. O alimento vai durar mais na sua cozinha, o que gera menos desperdício e maior aproveitamento da compra. Os produtos também chegam com preço interessante e, por isso, viemos conversar direto com produtores, para que essa proximidade gere negócios”, relata o proprietário e chef de cozinha do restaurante Paladino, Marcelo Haddad Guerra, um dos convidados da visita ao Assentamento Pastorinhas.