Com o apoio do Sebrae Minas, encontro teve o objetivo de  incentivar a compra de alimentos orgânicos produzidos por pequenos produtores

A região de Brumadinho tem um grande potencial na agricultura, que hoje representa a segunda fonte de renda do município. São cerca de 17 mil hectares voltados para a produção individual, segundo o IBGE. Diante disso, o Sebrae Minas procurou dar visibilidade e gerar negócios para os agricultores locais, por meio da realização de um encontro entre proprietários de seis restaurantes que participam do Circuito Gastronômico da Pampulha e produtores do Assentamento Pastorinhas. A ação, realizada por meio do projeto Investe Turismo, em parceria com a Belotur e a Prefeitura de Brumadinho, foi um primeiro passo para negociação da compra dos alimentos que são cultivados na região.

“Visitamos o assentamento com o objetivo de criar uma aproximação com os produtores, para que vendam os alimentos da agricultura familiar. O produto daqui se destaca por não ter o uso de defensivo agrícola e, com isso, os restaurantes que participaram do encontro poderão oferecer uma alimentação mais saudável e saborosa para seus clientes, reforça o analista do Sebrae Minas Renato Lana.

Atualmente, vinte famílias do Assentamento Pastorinhas sobrevivem do plantio de alimentos como mandioca, cenoura, brócolis, alface, pimentão, berinjela, feijão, além da criação de pequenos animais. Os agricultores utilizam técnicas sustentáveis, como é o caso da agrofloresta, um sistema que recupera a mata do entorno, aproveitando as condições naturais do ambiente para combater pragas e proteger insetos polinizadores. A maior parte do território do assentamento é remanescente da vegetação nativa. “A área de preservação conta com 142 hectares de Mata Atlântica secundária, e 10% do território são usados para a produção dos orgânicos,diz a produtora Valéria Carneiro, uma das líderes da iniciativa.

 O rompimento da barragem B1 da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, prejudicou os produtores do município. Agricultores das cidades vizinhas, como Mário Campos e Sarzedo, alugavam terrenos em Brumadinho para plantar. O rompimento da barragem afetou muito a comercialização do que é cultivado aqui. É importante que as pessoas saibam que nossos produtos não estão contaminados”, acrescenta Valéria.

Flávio Trombino, proprietário e chef do restaurante Xapuri, que recebe um público aproximado de 2 mil pessoas por fim de semana, foi um dos convidados do encontro. Nosso propósito não é apenas servir um produto de qualidade, estamos aqui porque nos importamos com o entorno. Quando fomentamos o crescimento dos pequenos negócios da região, eles se desenvolvem juntos conosco, afirma Flávio.

Circuito Gastronômico da Pampulha

Com 10 anos de realização, o Circuito Gastronômico da Pampulha se tornou uma das atrações mais tradicionais de Belo Horizonte e, para além de potencializar o turismo, tem como objetivo ajudar no desenvolvimento de ações que fomentam a gastronomia e a cultura local. No ano em que se comemora a décima edição do evento, os chefs dos 16 restaurantes que compõem o circuito buscaram inspiração nas histórias, saberes e produtos da região da Serra da Mantiqueira. A área, que se estende para São Paulo e Rio de Janeiro, envolve uma cadeia montanhosa com vasta vegetação e carrega particularidades dos empreendimentos que fazem parte desse trajeto.